Neila Bordin

Desejo que seja possível  traduzir em palavras  um pouquinho da minha imensurável satisfação com o resultado do trabalho de Magda Isoppo, Carolina Isoppo e toda a Equipe Virgínia Manssan.

 Quando decidi encontrar um lugar para confeccionar o meu vestido de noiva, seguindo a minha intuição, acessei a internet e cliquei no primeiro site que me chamou atenção, e fui certeira: www.virginiamanssan.com.br.

Fiquei encantada com o vídeo que assisti, o qual demonstrava todo o carinho e dedicação no trabalho especial desenvolvido pela equipe Virgínia Manssan. Percebi que alí existia mais do que um trabalho, existia amor, existia essência. Somente assim, torna-se possível chegar a um resultado que transcende a excelência. Tive a certeza de onde o meu vestido de noiva seria desenvolvido.

Assim, na primeira visita ao ateliê, apenas confirmei a minha convicção de que tratava-se do lugar correto.

 O vestido foi desenhado por Magda Isoppo e acompanhado atentamente por Carolina. Seguindo as preciosas dicas de Magda, Carolina e sua Equipe.

Deparei-me com um vestido deslumbrante que foi construído e reconstruído sobre o meu corpo. Pude apreciar a perfeição dos tecidos, das rendas e das aplicações de bordados.

Meu marido, na época noivo, acompanhou-me a todas as provas do vestido, me oferecendo todo o seu apoio, o que tornou este processo ainda mais especial, não atrapalhando em nada a surpresa do dia, quando ao me ver pela primeira vez vestida de noiva, com os olhos brilhantes de admiração e amor, afirmou:

 "Valeu cada centavo.

Duvido que em algum lugar do mundo façam um vestido mais lindo.

É uma verdadeira obra de arte.

Se a Gisele Bündchen colocasse este vestido não ficaria tão linda.

É a noiva mais linda do mundo!”

 

Gratidão à Magda Isoppo pelo seu magnífico trabalho e em especial, por sua preciosa dica de eu fazer uso do véu. Sem ele eu não seria uma noiva completa.

Gratidão à Carolina Isoppo por ter me acompanhado até o grande momento, transmitindo segurança e garantindo que eu fosse uma noiva impecável.

 

Neila Bordin